Medicinas Alternativas - Médicos de Portugal



Medicinas alternativas ou terapias complementares? O que significam estes termos?  Dr. Fernando Diniz Baptista fala-nos deste tema.

Nos últimos anos, muito se tem falado sobre medicinas alternativas ou terapias complementares. No entanto, poucos são aqueles que sabem o que significam estes termos e em que medida estas terapias contribuem para uma melhoria do estado de saúde daqueles que as procuram.

A medicina convencional tem sido até há poucos anos praticamente, de forma geral, a primeira - se não a única - opção para as populações, sobretudo ocidentais.

Portugal não é exceção. Contudo, tem-se verificado que na última década, a procura de medicinas não convencionais por parte dos cidadãos tem-se intensificado. Infelizmente o respeito e reconhecimento concedidos a estas terapêuticas são ainda limitados, pelo facto de haver pouca clarificação, não só nos procedimentos, mas também na acreditação dos profissionais que as praticam.

Medicinas alternativas vs Terapêuticas complementares?

Em todo o mundo praticam-se vários tipos de terapias alternativas, criando confusão nas várias nomenclaturas existentes: "alternativa", "complementar" e "não convencional".

A ordem dos Médicos da Grã-Bretanha, num relatório sobre terapias complementares, sugeria as seguintes definições: "outros sistemas de tratamento não muito usados pelos médicos convencionais" e "sendo os termos complementar, não convencional, natural, alternativa ou, não ortodoxa, usados de forma geral com o mesmo significado".

A Organização Mundial de Saúde (OMS) sugere uma definição de forma abstrata para as medicinas alternativas: "as medicinas não convencionais abrangem todas as terapias que não são utilizadas pela medicina convencional".

A diferença entre os termos "alternativa" e "complementar" é simples. Se um clínico de medicina convencional ou não convencional utilizar exclusivamente terapias alternativas, ele está a proceder a terapêutica "alternativa" em detrimento da ortodoxa ou convencional.

Se por outro lado, o paciente estiver a ser seguido pelo seu médico convencional, por exemplo, um problema músculo-esquelético, estando a tomar medicamentos prescritos pelo mesmo, mas recorrendo a um clínico osteopata, que trata problemas dos componentes mecânicos músculo-esqueléticos, o doente recorreu a uma terapia "complemetar" à convencional.

Vídeo - O futuro da Medicina!

Os Nossos Especialistas

A CEMIL - nif. 501064974 e registo na ERS n.º 10513 -  integra na sua equipa profissionais devidamente qualificados nas respetivas áreas.

Os critérios de seleção são de elevada exigência dada a variadíssima oferta existente.

 Defendemos que a qualidade dos nossos serviços são e serão a premissa do sucesso. 

 A equipa da CEMIL é constituída por especialistas em Hipnoterapia, Medicina Estética, Estética, Nutrição Clínica Desportiva, Terapias de Reabilitação, Terapias Não Convencionais , Terapias de Relaxamento e Aulas de Preparação para o Parto e Parentalidade.

 

Entidades de Resolução de Litígios de Consumo - veja a secção "Notícias"

 

MARQUE A SUA CONSULTA
* campos de preenchimento obrigatório

Este site usa cookies, para guardar informação de forma segura no seu computador.

Estes cookies destinam-se a optimizar a sua experiência de navegação neste site.

aceito cookies Saiba mais acerca dos cookies